Ela era poesia, mas ele não sabia ler <

 
 
Ela era poesia, sempre foi.
 
Rica em cada detalhe, delicada com uma flor. Ela tentava explicar, mas de nada adiantava.
 
Ele só entendia de rabiscos.
 
Ela se esforçava, tentava. Em vão, talvez? Ele até tentou, fingiu que tentou, cansou. Não conseguia, ela era complexa demais! Exigia tempo, compreensão, carinho, afeto, amor, e um cara maduro, que soubesse interpretar seus sinais.
 
Ela não estava errada. Ela era igual a todas. Ele é que era diferente. Não suportava um pingo d’água. Não estava acostumado em doar-se a uma outra pessoa de pura e simples vontade.
 
Cobrava, mas não sabia retribuir.
 
Ela ligava, se importava, cuidava. O que ela quer, afinal? Estava ali, estampado na cara de todos. O único que não enxergava era ele próprio. Parecia demais para sua cabecinha. Era como se entregasse uma folha escrita para alguém que não sabia ler.
 
Ele não soube interpretar.
 
Começou a rasurá-la. Brigas, discussões, seu coração virava milhões de cacos, mas aos poucos ela ia o reconstruindo. Tentou mostrar de todas as formas.
 
Cansou.
 
 
Ele só entendia rascunhos, ela era uma obra prima.
-por Marília Moraes

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*